Sobre o autor

Dra. Luiza Ottoni

Médica pela UFMG; Residencia em Dermatologia pelo Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo (HSPE-SP/ IAMSPE); Prática profissionalizante em Tricologia pela USP; Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD); Membro da Associação Brasileira de Cirurgia da Restauração Capilar (ABCRC).

Queda de cabelo na gravidez: conheça as principais causas

mulher com queda de cabelo na gravidez

Durante a gravidez, o cabelo normalmente fica mais espesso, mais volumoso, com brilho e bom crescimento. Porém, para algumas mulheres, ocorre o efeito oposto: os fios caem, ficam mais secos e mais ralos nas pontas. Este é um post para você entender o por que isso acontece, o que você pode fazer para tentar controlar ou minimizar a queda de cabelo relacionada a gestação/ pós parto e melhorar a recuperação dos fios. 

O que acontece com o cabelo durante a gravidez?

Primeiro, é necessário entender que existem 3 fases do cabelo: fase anágena (crescimento do cabelo); fase catágena (transição) e fase telógena (repouso / queda). Durante a gravidez, seu cabelo pode permanecer no ciclo de crescimento por mais tempo do que o habitual, devido a um aumento dos hormônios femininos estrogênio e progesterona produzidos pela placenta, fazendo com que ele pareça mais volumoso.

Por isso, é comum muitas mulheres grávidas notarem que o cabelo ficou mais brilhante, cheio e saudável. 

Infelizmente, algumas mulheres experimentam o oposto durante (alguns casos) e em torno de 3 meses após o parto – a queda abrupta do estrogênio e progesterona fazem com que o cabelo se mova prematuramente do crescimento para a fase de repouso e de transição para queda (eflúvio telógeno). 

 Durante esse período, pode-se notar aumento expressivo da queda de cabelo, que preocupa muito as mulheres levando inclusive a quadros de ansiedade. 

É normal ter queda de cabelo na gravidez?

Não é normal, mas pode ocorrer. Na gravidez há uma demanda nutricional intensa, além do estresse psicológico para algumas mulheres. Doenças, infecções, deficiências nutricionais e anemias, por exemplo, podem levar ao aumento da queda capilar.  

O mais comum é a queda após o parto, que erroneamente muitas mulheres relacionam à amamentação. A perda da placenta no parto leva à queda abrupta dos hormônios femininos que estavam elevados. 

Esse é o fator mais comum que pode fazer o cabelo a entrar na fase telógena (fase de repouso) mais cedo, o que significa que o crescimento é reduzido e você pode perder a queda de até 400 fios de cabelos por dia, em vez dos 50 a 100 cabelos de queda considerada normal por dia.

A queda de cabelo causada por grande estresse no corpo é uma condição conhecida como eflúvio telógeno, que não é uma condição exclusiva do pós parto. 

Este tipo de queda capilar pode acontecer após doenças infecciosas, alterações da tireóide, alterações de hormônios ovarianos, após interrupção de pílulas hormonais, uso de anabolizantes e outros medicamentos, anemias, doenças auto imunes e quadros de depressão e ansiedade e outros. 

O que pode causar queda de cabelo na gravidez e pós parto? 

1. Má nutrição

Seu corpo precisa de mais nutrição durante a gravidez. A necessidade de ferro e micronutrientes é alta. A ingestão insuficiente pode levar à queda de cabelo ainda na gravidez. Além disso, a falta de proteínas, vitaminas e minerais (como o zinco) no corpo também pode contribuir.

2. Doenças

Algumas doenças, como diabetes gestacional, infecções, podem causar queda de cabelo ainda na gravidez. Além disso, certos medicamentos, como os indicados para tratar pressão alta, depressão e ansiedade, podem aumentar o risco de queda capilar. Se você observar um aumento de queda dos fios enquanto estiver em uso de medicamentos, avise seu médico.

3. Alterações hormonais do pós parto

Alterações capilares durante no pós parto também podem resultar de alterações hormonais normais nesta fase. A flutuação dos hormônios com o nascimento do bebe interrompe o ciclo habitual de crescimento capilar, levando a queda excessiva de cabelos ou eflúvio telógeno, em geral 3 meses após o parto. Infelizmente, nesta variação hormonal não conseguimos atuar e controlar. 

4. Doenças de pele do couro cabeludo

As alergias, dermatites, psoríases e outras condições da pele que afetam o couro cabeludo também podem contribuir para o afinamento e queda de cabelo.

5. Alterações dos hormônios da tireóide

O hipotireoidismo é caracterizado por um declínio na produção do hormônio tireoidiano no corpo e é comum entre as mulheres.A deficiência desse hormônio pode causar perda de cabelo. 

O hipertireoidismo, que é o aumento do hormônio da tireoide, também pode cursar com aumento da queda capilar. 

6. Causas reprodutivas

A interrupção do uso de medicamentos anticoncepcionais hormonais pode causar o eflúvio telógeno. O mecanismo é semelhante ao que ocorre no pós parto, pela queda abrupta dos hormônios femininos estrogênio e progesterona. 

Como tentar controlar a queda de cabelo relacionada à gravidez e pós parto? 

Faça uma dieta equilibrada 

Uma alimentação rica nutre todas as partes do corpo, incluindo os cabelos. Certifique-se de ter uma dieta rica em proteínas e ferro, isso inclui comer alimentos como peixe, carne vermelha, nozes, espinafre, etc. Pense nisso como combustível para o seu cabelo para ajudá-lo a crescer.  

Escolha bem o shampoo na gravidez

Na gestação algumas mulheres podem notar aumento de oleosidade do couro cabeludo. Use xampus com ativos antioleosidade. 

Já no pós parto pode ocorrer ressecamento capilar. Para melhora do aspecto capilar você pode mudar para um shampoo mais hidratante que o atual e específico para queda de cabelo. 

Prefira os que contêm em sua fórmula, os seguintes componentes:

  • Baicalina;
  • Germinados de soja e trigo;
  • Cafeína;
  • Arginina e Citrulina;
  • Taurina;
  • Jaborandi

Leia o post sobre: como escolher produtos para queda de cabelo.

Reduza o estresse

Reduzir seus níveis de estresse e cuidar da saúde mental é muito importante para evitar a queda de cabelo na gravidez e principalmente no pós parto. O que quer que a mantenha relaxada, faça-o regularmente, pois isso ajudará a regular seus hormônios e seu ciclo de crescimento capilar. 

Experimente a LEDterapia

O uso de LEDs para queda de cabelo é muito recomendado por dermatologistas. O tratamento auxilia na redução de inflamação e melhora o crescimento capilar e a espessura dos fios, além de deixar os fios mais fortes e brilhantes. 

Você pode encontrar esses dispositivos em formato de bonés, capacetes ou tiaras com uma luz apropriada, que são aplicados na cabeça durante alguns minutos por dia.

A radiação emitida por esses equipamentos é absorvida pela raiz do fio. Funciona como um adubo potente estimulando o folículo piloso a trabalhar mais.

O tratamento com LEDs pode ser feito  após o terceiro trimestre de gestação.  Mas é recomendável uma avaliação com seu ginecologista para excluir eventuais exceções próprias da gravidez. 

Evite usar ferramentas quentes e use penteados mais suaves

Se o seu cabelo está afinando, a última coisa que você quer fazer é colocá-lo diretamente em calor, danificá-lo ainda mais com escovação vigorosa ou penteados muito apertados e que podem quebrar o cabelo. Seja gentil com o seu cabelo.

Você vem percebendo que seus cabelos têm caído durante a gravidez ou no pós parto? Compartilhe sua história ou sua dúvida. Deixe um comentário!

Você vem percebendo que seus cabelos têm caído durante a gravidez? Compartilhe sua história ou sua dúvida. Deixe um comentário!

RECEBA OFERTAS E NOVIDADES DA CAPELLUX POR E-MAIL

Inscreva-se e receba notícias e ofertas exclusivas.

    2 Comentários

    1. Avatar Veronica D disse:

      Estou tendo queda de cabelo após o parto, é normal?

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *