Eflúvio telógeno causa 90% da queda de cabelo nas mulheres de até 50 anos

eflúvio telógeno

Segundo a maioria dos dermatologistas, mais de 90% da queda de cabelo nas mulheres de até 50 anos é causada pelo eflúvio telógeno. Embora pareça preocupante, essa condição de queda é temporária e está relacionada a fatores como estresse, trabalho excessivo, dietas severas, cansaço, pós cirurgias, dentre outras causas. 

O eflúvio telógeno afeta mais as mulheres do que os homens e pode aparecer após os 50 anos, porém com menos frequência. É a segunda maior razão de perda de cabelos do ser humano, perdendo apenas para a alopécia androgenética masculina, aquela causada por fatores genéticos e associado à presença de hormônio masculino. 

Para ser considerado eflúvio telógeno a queda tem que ser superior a 100 fios por dia. Até esse valor, a queda é considerada normal. É uma queda difusa, que atinge todas as áreas do couro cabeludo e não atinge nenhuma área mais severamente.

O eflúvio telógeno é dividido em dois tipos: agudo e crônico, de acordo com a duração da queda de cabelo.

Eflúvio Telógeno Agudo

O eflúvio telógeno agudo é aquele que se resolve em até seis meses. Esse é o período médio necessário para que haja a substituição dos fios que caíram precocemente.

Normalmente é provocado por fatores pontuais e de curta duração. A recuperação pode ser espontânea, sem a necessidade de cuidados especiais. As causas mais comuns incluem:

  •   quadros de estresse agudo;
  •   dietas de emagrecimento ou má alimentação;
  •    alterações nutricionais e hormonais do pós-parto;
  •   após cirurgias;
  •    processos infecciosos como febre amarela, pneumonia, meningite e outros;
  •    uso de alguns medicamentos;
  •   durante a introdução, troca ou interrupção no uso de anticoncepcionais.

Eflúvio Telógeno Crônico

O eflúvio telógeno é considerado crônico quando a queda de cabelo se prolonga por mais de 6 meses. Normalmente a queda é mais intensa e alterna com períodos de melhora.

No longo prazo acontece não só a queda, mas também uma piora nas características da haste (fio), dando lugar à diminuição do volume do cabelo, pontas mais finas  e fracas. As causas mais comuns incluem:

  •   doenças crônicas;
  •   deficiências nutricionais crônicas, como de vitaminas, proteínas e minerais;
  •   casos prolongados de estresse;
  •     uso contínuo de alguns medicamentos;
  •     distúrbios hormonais;
  •     dermatites do couro cabeludo.
tratamento eflúvio telógeno

Como é feito o diagnóstico e quais são os tratamentos

O diagnóstico é baseado na história recente da pessoa tentando identificar possíveis fatores causais. Nos casos crônicos pode ser necessário exames do cabelo, além de exames gerais para investigar anemias, alterações do ferro, da tireóide, vitaminas dentre outros.

Na grande maioria das vezes o eflúvio telógeno se resolve espontaneamente e os tratamentos visam apressar a recuperação já que os cabelos respondem lentamente. Demoram 3 meses para cair e 6 para recuperar. 

A grande maioria dos casos de eflúvio telógeno são tratados pelos especialistas com Minoxidil, Vitaminas e LEDterapia.

Minoxidil

A solução tópica de Minoxidil é um dos principais medicamentos recomendados nas diversas formas de queda de cabelo. Não se sabe exatamente como o Minoxidil consegue estimular o crescimento capilar, ainda que pesquisas tenham comprovado os efeitos satisfatórios do tratamento.

Acredita-se que o efeito vasodilatador da droga aumente a da taxa de crescimento capilar. Pesquisas indicam que os pacientes começam a ver resultados com uso do medicamento entre 6 e 8 semanas, com resposta máxima após 24 meses.

Vitaminas

O eflúvio telógeno causado por erros alimentares ou dietas restritivas podem levar a falta de nutrientes importantes para a construção do fio. Por essa razão e para melhorar a qualidade dos fios que serão repostos, é recomendável a reposição de vitaminas na dieta ou por pílulas tipo multivitamínicos.

A mudança dos hábitos alimentares pode ser uma grande aliada na saúde, incluindo na capilar. Confira as principais vitaminas para o cabelo e suas fontes:   

  • Vitamina A: fígado, batata doce, abóbora e espinafre;
  • Vitaminas do complexo B: feijão, lentilha, castanhas, leite e derivados, fígado de boi, ovos, vegetais de folha escura, carnes magras, semente de girassol, peixes e gérmen de trigo;
  • Vitamina C: acerola, goiaba, brócolis, morango, kiwi e laranja;
  • Vitamina D: óleo de fígado de bacalhau, peixes de água fria como salmão, tainha e atum, cogumelos, carnes magras e ovos;
  • Vitamina E: ovos, leite, amêndoas, semente de girassol, abacate, vegetais de folha escura e óleos vegetais.

LEDterapia

Atualmente, o tratamento de cabelos com LED ou Laser vem se tornando quase obrigatório. Ele é indicado por dermatologistas do mundo inteiro, recomendado por cabeleireiros famosos, usado por milhares de pessoas, incluindo vários artistas. Definitivamente é uma poderosa arma contra a queda de cabelo e para melhora da qualidade dos fios.

Os dispositivos de LED podem ter formato de  bonés, capacetes ou tiaras com uma luz apropriada, que são aplicados na cabeça durante alguns minutos por dia. Conheça o nosso boné de LED para queda de cabelo.

A radiação emitida por esses equipamentos é absorvida pela raiz do fio. Funciona como um adubo potente estimulando o folículo piloso a trabalhar mais.

A LEDterapia é uma ótima recomendação para o eflúvio telógeno. Cessa a queda em poucos dias, acelera o crescimento capilar,  além de deixar os fios mais fortes e brilhantes.

Lembre-se de que a causa do eflúvio precisa ser combatida.


Ainda tem alguma dúvida sobre o eflúvio telógeno ? Deixe sua pergunta nos comentários.

2 Comentários

  1. Silvana Oliveira disse:

    Tenho interesse pelo ledterapia estou com muita queda de cabelo e estao ficando ralo

    • Fernando disse:

      Olá Silvana, a LEDterapia é uma prática excelente, pois acelera a produção das células responsáveis pelo crescimento dos fios.

      Mas antes de qualquer tipo de automedicamento, aconselhamos a vista em um dermatologista.

      🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *