Queda de cabelo: quais são as principais causas?

queda de cabelo quais são as principais causas

Identificar as causas da queda de cabelo é o primeiro passo para buscar um tratamento adequado que viabilize reverter a condição ou, ao menos, estabilizá-la.

Devido ao ciclo capilar, a queda de cabelo é normal se ficar entre 50 e 100 fios por dia,  desde que ocorra para substituição do fio por um novo.

O ciclo capilar pode ser dividido em três fases: anágena (crescimento dos fios), catágeno (repouso) e telógena (queda). Cerca de 90% dos fios estão em fase anágena.

A substituição ocorre quando o bulbo para de fornecer nutrientes ao fio e ele entra em repouso. Na fase telógena, que tem duração de três meses, um novo fio começa a empurrar o velho, que cai.

Esse processo, no entanto, pode sofrer interferências internas e externas, levando à queda de cabelo anormal – nas quais não há substituição do fio. Saiba mais a seguir!

10 principais causas da queda de cabelos

Se você tem queda de cabelo leia com atenção essas informações e tente identificar algumas das possíveis causas do seu problema.  Isso é essencial para ajudar a reversão do quadro. Pode demandar o uso de remédios, shampoos específicos ou mesmo novos tratamentos, como a LEDterapia. Apresentamos a seguir 10 principais causas para queda de cabelo.

1. Fatores genéticos

O principal responsável pela calvície entre homens são os fatores genéticos que podem desencadear a alopecia androgenética. Trata-se de uma causa hereditária e influenciada por questões hormonais.

O que ocorre é que os hormônios masculinos, especialmente a testosterona, causam a atrofia dos bulbos capilares, promovendo inicialmente o afinamento dos fios que, posteriormente, deixam de ser substituídos.

O problema pode começar a se desenvolver quando o homem tem cerca de 20 anos, sendo uma queda contínua, persistente e irreversível, dificultando a resposta aos tratamentos.

A queda inicialmente provoca as famosas entradas e, em seguida, a calvície no topo da cabeça, sendo que o processo de atrofia dos bulbos se concentra nessa área e não afeta tanto as laterais e nem a parte de trás.

Na queda de cabelos masculina alguns homens desenvolvem a alopecia androgenética mais tardiamente, de forma que o processo será mais lento e responderá melhor aos tratamentos.

Na queda de cabelo feminina as mulheres também sofrem de alopécia androgenética apesar de ser menos agressiva e menos frequente.

2. Alterações hormonais

Os hormônios também são responsáveis por outros tipos de queda de cabelo, como a queda com padrão feminino que afeta, especialmente mulheres após a menopausa, pois há uma elevação na proporção dos hormônios masculinos no organismo.

Nesses casos há um rareamento dos fios, mas normalmente não chega a causar a queda definitiva em áreas do couro cabeludo.

Entre as mudanças hormonais mais relacionadas às alterações no ciclo capilar está a gravidez.

Em geral, durante a gestação a fase anágena é estendida, de forma que no pós-parto muitos fios entram na fase telógena ao mesmo tempo, causando uma queda maior que o habitual, ainda que haja fios substituindo os que estão caindo.

Outras questões que alteram os hormônios também podem estar entre as causas da queda de cabelo, como uso de anticoncepcional hormonal, uso de anabolizantes ou reposição hormonal.

3. Alimentação

A alimentação está entre os principais fatores que influenciam a saúde em geral, incluindo a capilar.

A saúde do cabelo está diretamente relacionada à disponibilidade de nutrientes no organismo, incluindo proteínas, vitaminas e sais minerais que são responsáveis pelo crescimento e fortalecimento dos fios.

Quando o organismo está com falta desses nutrientes devido a uma ingestão insuficiente, essas substâncias são direcionadas às atividades consideradas mais vitais ou mais importantes, o que, definitivamente, não inclui os cabelos.

Portanto, para que o ciclo capilar funcione corretamente é preciso evitar dietas restritivas ou uma alimentação baseada em junk food, com baixo teor nutricional, para que as vitaminas essenciais para o cabelo consigam chegar até ele.

4. Problemas intestinais

Mesmo que a alimentação esteja balanceada, é preciso que o organismo consiga processar esses nutrientes, o que demanda um funcionamento adequado do intestino para absorver e metabolizar as vitaminas, minerais e proteínas.

Portanto, doenças inflamatórias do aparelho digestivo, como gastrite, esofagite e outras, podem limitar a absorção de nutrientes e resultar na queda de cabelo.

5. Anemia

Ainda no aspecto alimentar e digestivo, entre as causas da queda de cabelo está a anemia, caracterizada pela deficiência de ferro no organismo.

A falta desse mineral diminui a concentração de hemoglobina no sangue, proteína fundamental para o transporte de oxigênio na corrente sanguínea.

Além da queda de cabelo, a anemia pode apresentar sintomas mais graves, como fadiga, déficit de atenção, palidez, tonturas e falta de ar. Em casos severos pode levar a quadros clínicos graves.

A anemia pode ser causada por outros problemas não relacionados à alimentação. Algumas pessoas podem ter anemia mesmo ingerindo quantidades adequadas de ferro!

6. Dermatite Seborreica

Uma importante causa para queda de cabelo é a dermatite seborreica que pode levar a uma oleosidade excessiva do couro cabeludo, caspa, dificultando a transpiração dos bulbos capilares.

Não há estudos que especifiquem as causas dessa problema, mas ela pode estar associada à genética, estresse, clima seco e frio além de fungos. Entre outros fatores que podem desencadear ou agravar o quadro da doença estão:

  • Depressão;
  • Alcoolismo;
  • Transtornos alimentares;
  • Epilepsia;
  • Parkinson;
  • HIV;

Vale lembrar que alguns hábitos também podem influenciar negativamente como: deixar o couro cabeludo muito abafado (uso contínuo de bonés e toucas), dormir com o cabelo molhado e outros.

7. Estresse

A queda de cabelo por estresse pode ser desencadeada por questões físicas ou emocionais. A condição se deve às alterações hormonais causadas pela elevação dos níveis de cortisol no organismo.

O estresse pode ser crônico ou agudo, sendo desencadeado por eventos traumáticos, como acidentes, luto, doenças e outros.

8. Medicamentos

O organismo funciona baseado em um rigoroso equilíbrio que pode ser afetado com a ingestão de medicamentos, sendo essa uma das principais causas para queda de cabelo.

A forma como um medicamento pode influenciar na queda de cabelo, assim como a intensidade dela, depende de diversos fatores. Os medicamentos quimioterápicos, por exemplo, podem causar a queda de cabelo por interferir na proliferação das células do bulbo capilar ainda na fase anágena, razão pela qual a queda é tão intensa e rápida nesses casos.

No entanto, outros medicamentos também podem resultar na queda capilar, como os antibióticos. Entre as substâncias relacionadas à queda de cabelo destacam-se: cloranfenicol, etionamida, gentamicina, nitrofurantoína e tianfenicol.

Outros remédios podem afetar o balanço nutricional, causando a deficiência ou excesso de vitaminas, como a isotretinoína oral, usada no tratamento de acne.

9. Hipotireoidismo

O hipotireoidismo é uma condição associada a alterações hormonais em decorrência de problemas no funcionamento da tireoide.

Além da queda de cabelo, outros sintomas relacionados à disfunção da glândula incluem: fadiga, sensibilidade ao frio, prisão de ventre, ressecamento da pele, ganho de peso, inchaço, rouquidão e fraqueza.

10. Tabaco

Diversos hábitos podem estar entre as causas para perda de cabelo, mas entre eles destaca-se o uso do tabaco.

Entre os motivos para o tabaco ser associado à queda dos fios estão as substâncias prejudiciais à saúde presentes no cigarro, que reduzem a renovação celular, incluindo no bulbo capilar.

Outro fator a ser destacado é que o cigarro interfere na microcirculação sanguínea que é responsável por levar oxigênio ao couro cabeludo.

Quais as opções de tratamento?

Portanto, são diversas as causas associadas à queda sendo algumas mais fáceis de reverter do que outras. Independente disso é preciso que haja um diagnóstico correto para depois encontrar as opções de tratamento capilar.

Shampoo antiqueda

Ao identificar a perda de cabelo excessiva, uma primeira opção de tratamento é a incorporação de um shampoo antiqueda na sua rotina diária.

Algumas formulações incluem antioxidantes como a cafeína e ervas orientais, como a baicalina e os germinados de soja que ajudam na ação metabólica do couro cabeludo.

Medicamentos

Existem diversos medicamentos ou suplementações indicadas no caso de queda de cabelo, tanto para uso tópico quanto oral.

Entre as substâncias usadas destacam-se o minoxidil, finasterida e alfaestradiol. No entanto, o uso de qualquer medicamento deve ser recomendado por um especialista após avaliar o quadro de cada paciente.

Mudanças de hábitos

Em alguns casos a queda de cabelo está associada aos hábitos mantidos, como no caso da alimentação ou estresse. Nessas situações é importante somar tratamentos específicos com as mudanças de hábitos.

LEDterapia

Um opção moderna e eficaz para tratamento da queda de cabelo é a LEDterapia, alternativa segura e que pode ser realizada em casa, em poucos minutos por dia, usando equipamentos como boné Capellux ou capacete Capellux i9.

LEDterapia é recomendada para quedas severas, como as causadas pela alopecia androgenética e alopecia areata, sendo que em casos mais críticos pode ser associada ao uso de medicamentos tópicos, pois intensifica a ação das substâncias presentes.

O tratamento também é indicado para casos de eflúvio telógeno como devido ao estresse, pós-parto, menopausa, perda de peso ou pós-quimioterapia.

Os equipamentos com LED fazem um distribuição uniforme da luz, o que resulta em um tratamento mais completo e eficaz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *